Página Inicial - Pattelon Decor Pattelon Decor

As almofadas são ótimas opções para dar cara nova aos ambientes ou deixar a casa

Vez ou outra todo mundo tem vontade de mudar "algo" em casa, dar uma renovada no ambiente. E uma das maneiras mais fáceis de fazer isso é mudando itens pequenos da decoração, como as almofadas! Para a arquiteta Flávia Bonet, elas são fundamentais e consideradas a "cereja no bolo" nos ambientes.

"As almofadas não são tão caras quanto um sofá, por exemplo, por isso podemos mudar mais facilmente, seja para dar cara nova para um ambiente ou para deixar a casa mais confortável para uma nova estação. No verão podemos usar capas da almofada com tecidos mais frescos, como a seda e a sarja. Já o outono e o inverno pedem algo mais quente, como o couro e os tecidos que imitam pele", ensina.

Segundo Flávia, de modo geral, não existe um tecido indicado para cada ambiente. O que vai direcionar o que deve ser usado nas almofadas é o estilo da decoração e o uso do ambiente. Os mais despojados comportam peças mais coloridas, com tecidos laváveis, como o linho e a sarja. Já os mais requintados pedem revestimentos mais nobres, como seda, que deve ser lavado em lavanderias.

Da mesma maneira podemos pensar na hora de escolher o tamanho e a espessura da almofada. "Não há uma regra dizendo que tamanho fica mais adequado, ou quantas almofadas devemos usar, vai muito do bom senso e do gosto pessoal. Há quem odeie sofá com muitas almofadas, mas novamente o uso do móvel pode nos ajudar", diz a arquiteta, explicando que há dois tipos de sofás: para home theater e para o living.

"O sofá para home tem 1,10 m de profundidade. Nesses podemos usar almofadas maiores, com espessura maior, porque são peças funcionais, que vamos usar mesmo. Pensando na praticidade e na necessidade maior de lavagem, é comum fazermos peças com zíper, com tecidos que podem ser lavados na máquina. Já o sofá para o living tem entre 0,80 m e 0,90 m de profundidade. Neles as almofadas servem mais como enfeite, por isso devem ter espessura menor, são mais delicadas e mais firmes. Nesses casos os revestimentos são mais nobres e as peças não têm zíper", explica.

E se a tendência é misturar cores e estilos, algumas dicas ajudam a tornar essa tarefa mais simples. Segundo o arquiteto Marcelo Rosset, para que haja harmonia devemos escolher um tema que faça um link entre as almofadas escolhidas. "Deve-se utilizar uma paleta de cores que combine entre si, e misturar com as estampas algumas almofadas mais lisas apenas com texturas para dar um equilíbrio. Em ambientes neutros, as almofadas coloridas podem ser um ponto de equilíbrio na decoração. Mas se o ambiente já tiver cores, o ideal é buscar uma harmonia entre o que já existe no ambiente e as novas peças", ensina.

Rosset diz também que caso o tapete já seja estampado, as almofadas devem ser mais leves, para não poluir o ambiente.

Outros ambientes
As camas de hotel até podem ser muito bonitas com todos aqueles travesseiros e almofadas, mas no dia a dia as pessoas querem é praticidade, segundo Flávia. Arrumar a cama todas as manhãs antes de sair para o trabalho precisa ser algo rápido, por isso, a tendência atual é usar um edredom com capa e alguns travesseiros. "A colcha com diversas almofadas não é mais tão usada. O comum é o edredom, cuja capa pode ser lavada depois e quatro travesseiros."

Além de sofás e camas, as almofadas também caem bem nas brinquedotecas e quartos infantis. Segundo a arquiteta, nas salas de brinquedo – principalmente de condomínios – as almofadas conferem praticidade e segurança, já que crianças de diferentes idades e tamanhos irão usar o espaço e não há risco de caírem de uma cadeira, por exemplo. "Também usamos almofadas no chão, geralmente os futons, em projetos com temática oriental", diz ela.

Na Pattelon Decor você encontra diversas opções em almofadas e uma ampla variedade em tecidos.

Reportágem: Érika Gonçalves
Imagem: Projeto de Marcelo Rosset

 


Fonte: Folha Web

Almofadas - Projeto Marcelo Rosset